"Speak softly and carry a big stick" Theodore Roosevelt

.posts recentes

. Pianola

.arquivos

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

Segunda-feira, 6 de Julho de 2009

Pianola

Causou grande celeuma a recente birra de Maria João Pires. Pelos vistos, a senhora abandonar-nos-á e partirá para terras de Vera Cruz. Pois, boa viagem e vá pela sombra. Eu não ponho em causa as suas qualidades artísticas. O que me enerva é a atitude pedinchona duma certa elite cultural que, por alguma razão obscura, acredita que devem ser suportados pelo dinheiro dos seus concidadãos e não pelo fruto do seu trabalho. 

O projecto de Belgais era louvável? Certamente. Mas devia ser suportado pelo dinheiro dos contribuintes? Não. Maria João Pires é uma artista de renome, que conseguiu a proeza de colocar um disco de música clássica no top nacional, que se apresenta nas salas mais conceituadas. Então, porque é que a ajuda do Estado é tão essencial? Porque é que não tentou o apoio de empresas, porque não utilizou o seu próprio dinheiro, porque é que não deu dois ou três concertos cujas receitas revertessem para o seu projecto? Muito simplesmente porque Maria João Pires pertence a uma casta de artistas que se julga acima dessas questões demasiado comezinhas, que esboça um esgar de arrogância e nojo perante a realidade  "comercial" da arte. É mais fácil encostar-se a um subsídio do Estado. Sim, Maria João Pires até pode mudar de nacionalidade mas o espírito, esse, continuará a ser bem português.

publicado por bmptavares às 02:25
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
25
26
28
29
30

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds